BRASILEIRÃO

31 de julho de 2018

Pior visitante do Campeonato Brasileiro, com apenas um ponto somado em oito jogos, o Paraná Clube, se não quiser voltar para a Série B de 2019, terá que melhorar muito seu aproveitamento nas partidas longe da Vila Capanema. Depois da parada para a Copa do Mundo, o Tricolor fez três partidas fora de casa.

Perdeu as três, provou suas fragilidades e, sobretudo, a sua irregularidade na disputa da competição nacional. O time paranista espera agora, nos dois jogos seguidos que tem em Curitiba, contra Ceará e Botafogo, que consiga bons resultados para, depois, começar a somar pontos longe da torcida.

“Esse é o jogo que costumo dizer que é o nosso campeonato. Não queremos vir aqui e perder o jogo, mas sabemos da dificuldade que é. Não conseguimos fazer o nosso melhor, mas dentro da nossa casa contra o Ceará nós temos que ganhar. Esse jogo e contra o Botafogo, temos que ser fortes como mandantes. A maioria das equipes está ganhando em casa. Isso vai definir. Em algum momento teremos um dia especial, um momento melhor e ganhar um jogo fora de casa”, apontou o técnico Rogério Micale.

O Paraná Clube, nos oito jogos que fez fora de casa, além do péssimo rendimento de apenas 4%, conseguiu marcar apenas dois gols. Tanto que o Tricolor tem o pior ataque do Brasileirão, com dois gols marcados. Na derrota por 3×0 para Palmeiras, domingo (29), em São Paulo, a dificuldade ofensiva ficou bem evidente. O time conseguiu apenas duas finalizações, ambas de bolas paradas.

No jogo anterior, no entanto, quando perdeu para o Atlético-MG por 2×0 no Horto, o Paraná Clube teve uma boa atuação, com volume de jogo e grandes chances desperdiçadas. Micale ressaltou o poder de criação em alguns jogos do Tricolor, mas frisou a falta de qualidade para fazer os gols e aumentar, assim, seu rendimento como visitante no Brasileirão.

“Se for analisar o número de finalizações, o Paraná, na rodada passada, foi o time que mais finalizou. Construir para finalizar nós temos construído. Esse arremate final é tomada de decisão, técnica. Estamos tentando trabalhar o psicológico para isso. Quando estava 2×0 (para o Palmeiras), tivemos uma bola no travessão. Do outro lado, chuta-se uma bola rebatida e entra no ângulo. Esse gol e o primeiro foram arremates de muita qualidade. Então, faz a diferença”, pontuou o treinador.

Conseguir bons resultados fora de casa será fundamental para qualquer clube escapar do rebaixamento. Além do Paraná, os outros três times que estão na área de risco também aparecem com os piores rendimentos como visitante do torneio. O Bahia tem 5%, o Ceará tem 9% e o Atlético tem 12% de aproveitamento jogando longe dos seus domínios.

Confira a classificação completa do Brasileirão

Diante da situação atual, já na reta final do primeiro turno, o comandante paranista sabe da dificuldade que o time terá para conseguir permanecer na elite. No entanto, ele espera que lá no final da 38ª rodada a situação seja diferente da atual.

“Espero que na 38ª rodada a gente esteja fora. Essa é a minha ideia. A gente sabe que vamos lutar o campeonato todo por isso, para tentar sair. Não adianta sair agora e retornar na 36ª rodada. O importante no final e espero que a gente possa estar fora e conseguindo manter o Paraná na primeira divisão”, finalizou Micale.

Fonte: Tribuna

Comentarios
Emporio